domingo, 4 de julho de 2010

Tem uma criança em meu queixo

Tem uma criança em meu queixo
E uma girafa em sua mão
Cores brilham em sua cabeça e em seu coração
Da pele sai um cheiro de inocência
Onde o desejo cresce no olhar
O brinquedo pulsa na alma.
Enfim, o relógio cuco vem a gritar:
Brinca menino brinca
Que a dor não chega ao coração.
Tem uma criança em meu queixo.

1 comentários:

É tipo isso! disse...

Lembrei dos poemas lidos no "Castelo Ra Ti Bum"...sempre envolvendo crianças...